13 de outubro de 2013

Amor Delíria Nervosa

Hora de rever todos os conceitos que você um dia viu no tumblr, geralmente por quem teve o coração partido: "ninguém precisa de amor, mesmo". Não?

Num futuro próximo, onde pesquisas constantes revelaram que o amor é uma doença e que precisa ser contida, é que se passa a história do livro Delírio, o primeiro da trilogia de Lauren Oliver. Se imagine num mundo onde ninguém ama. E não falo apenas de amor carnal, e sim de todas as formas de amor. Não existe amizade verdadeira depois da "cura", não existe amor de irmão, e sequer existe amor de pai e filho. Isso mesmo, as mães não amam seus próprios filhos. Essa é a realidade de Lena Haloway, uma garota de 17 anos que anseia desesperadamente pela cura do Amor Delíria Nervosa, que só pode acontecer quando ela fizer seus 18. 



Lena vive com os tios. Tudo o que sabe é que sua mãe foi caçada pelo governo, porque suas várias tentativas de cura não funcionaram. A mãe de Lena nunca foi curada, ela amava verdadeiramente. E o motivo sempre foi um mistério. Mas Lena não quer ser como a mãe, porque a chamaram de louca, de esquisita, fora dos padrões. A família Haloway já sofria preconceitos demais e seria horrível se Lena fosse como a mãe. Por isso ela quer tanto ser curada, e logo.

Depois da cura, só felicidade: a faculdade e o marido que o governo escolherá para ela. São promessas de uma vida melhor, sem olhares estranhos e sem a doença. A intervenção consiste em três agulhas pontudas perfurando sua cabeça e cérebro, e pronto, nunca mais amor. As três cicatrizes são a prova de que você é uma pessoa normal para a sociedade. Lê-se "sociedade", e não "mundo", já que a história se passa nos Estados Unidos, que, por conta da descoberta (que só acontece por lá...) fechou todas as suas fronteiras, se tornando um país isolado do resto do mundo. A coisa é tão séria que a nova "bíblia" é a Shhh - Suma de Hábitos, Higiene e Harmonia - que dita como essa sociedade deve viver para se proteger do Amor Delíria Nervosa, nome científico da doença "amor".

Acontece que, algumas semanas antes de sua intervenção (ou cura), Lena conhece Alex, e o inevitável acontece: frio na barriga, pensamentos embaralhados, olhar perdido... Ela se apaixona. Para alguém que por tanto tempo esperou a cura, se apaixonar logo no fim do caminho era loucura. A garota tem medo de ficar maluca como a mãe, medo que os tios descubram, medo que a melhor amiga descubra e medo que, principalmente, o governo descubra. Ela teme ser presa e ir parar nas Criptas, local onde os presos políticos e sem volta ficam. Mas também não quer lutar contra esse amor que descobre não fazer mal algum. 

"É o mais mortal de todos os males:
você pode morrer de amor,
ou da falta dele."

Delírio é uma das minhas trilogias favoritas, e é aquele livro que a dona Beth - vulgo mamãe - lê comigo, e foi tema de uma das postagens anteriores (clique aqui). O livro é publicado pela editora Intrínseca, e teve uma grande divulgação na Bienal do Livro de São Paulo, ano passado. A capa dele é simplesmente perfeita e toda espelhada. Delírio ia virar uma série de TV, estrelada pela Emma Roberts como Lena, mas foi cancelada logo no episódio piloto, o que é uma pena, porque acho que faria um grande sucesso. 

As continuações são Pandemônio e Requiem, e esse último eu não tenho certeza se foi lançado no Brasil, porque algumas pessoas já fizeram resenha sobre ele, mas o livro não consta no catálogo virtual da Intrínseca. (se alguém souber, por favor, me avise)


12 comentários:

  1. Oi Anaaaa :3

    Foi ótimo ter lido sua resenha de Delírio, lembrei de bastante coisa do primeiro livro e-e IUHAIUEHAIUEHIUAE
    De verdade, espero mais resenhas aqui porque você escreveu muito bem!
    Requiem ainda não lançou mas o pessoal que lê em inglês já comprou desde março um exemplar do terceiro livro e tenho que confessar que estou morrendo de medo de ler a finalização da trilogia, porque pelo que vi... não agradou tanto os leitores ;-;

    Bjsss,
    Nath

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooooi, Nath! <3

      Awn, muito obrigada! *O* E obrigada à você por sanar as minhas dúvidas, já estava com a cabeça quebrada de tanto procurar esse bendito livro! IHAUHSIHAIUSH Espero que não seja tão ruim como dizem nas resenhas ):

      Beijão <3

      Excluir
  2. Já li e é simplesmente perfeito! ♥

    "Amor, o mais mortal de todas as coisas mortais: ele mata você em ambas as situações, quando você o tem e quando você não tem".
    — Delírio, Lauren Oliver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? E esse quote é um dos meus favoritos!

      Excluir
  3. Nossa que história intensa... Quero muito ler \o

    ResponderExcluir
  4. Delírio é tipo, vida, leio e releio os dois livros sempre que posso, não tem coisa melhor *----------*
    bombademorango.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DELÍRIO É VIDA, É AMOR, É PAIXÃO IAUHSIHAHS <3

      Excluir
  5. Já tinha visto esse livro, mas além da capa linda eu não sabia nada sobre ele. Adorei seu resumo, me deixou bem interessada :)
    Ah, aproveita que você gosta de ler e participa do sorteio que tá rolando no meu blog, é do livro 'Quem é você, Alasca?' http://batomradioativo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada! A capa é mesmo linda, né? E vou participar sim, é um livro que estou querendo, haha <3

      Excluir